Pular para o conteúdo principal

Breaking Bad e a Ricina


Com spoilers para quem não viu "Confessions" 5x11

Breaking Bad é uma série que tem a metanfetamina como peça principal, claro. Foi a partir da criação da versão mais pura dessa droga que a série iniciou-se, gerando grandes confusões que até hoje são desenvolvidas. Mas antes disso, antes da criação do "Blue-meth", havia um gênio por trás disso tudo, capaz que criar coisas horripilantes baseando em seu conhecimento.

Foi um dos atrativos que levaram-me a interessar pela série. Walter White soava a princípio como uma espécie de Macgyver, aquele que pegava um chiclete, um pedaço de fio e construía uma bomba. Porém Walter não tem esse dom fantasioso, mas tem a química ao seu lado e sempre usufrui disso para sair de situações que comprometeram a sua vida e das pessoas que ele se importa.

E isso desde os primórdios da série, quando dissolveu o corpo de krazy 8 com ácido, ou quando explodiu o QG de Tuco, pondo janelas pelos ares após criar uma espécie de bomba com o visual da metanfetamina. Vimos também ele arrebentar uma abraçadeira de plástico usando a eletricidade, e a criação de uma bomba caseira que mandou Gus e Hector Salamanca pelos ares. Porém, a criação mais perversa e que traz grande reação na série, exaltada em "Confessions", é a Ricina: um veneno que pode matar em 36 horas, sem deixar vestígios e suspeitas. Um veneno que ainda não foi usado na série, porém tem trazido grandes consequências.


Criado inicialmente para matar Tuco, o bandido não caiu na armadilha de Walter e Jesse. Posteriormente o veneno voltou com o intuito de ser usado em Gus, mas Jesse não teve coragem de envenenar o crápula, mesmo tendo diversas chances para isso. Quando Walter esteve encurralado, com a sua vida e de sua família em risco, principalmente por Jesse não ter matado Gus, Walter bola um plano genial, usando a Ricina mesmo sem usá-la. Orquestrou um plano pra trazer Jesse de volta para o seu lado, envenenando Brock com o Lírio do Vale, veneno não tão cruel quanto à Ricina.    

Walter colocou a vida de uma criança em risco para que seu plano desse certo. Deu certo. Porém a ferida que abriu em Jesse só foi sentida agora, com a descoberta dessa maligna trama. Em "Confessions", Jesse notou que sua maconha foi-lhe retirada sem ao menos perceber, da mesma forma que sua Ricina tinha sumido em "End Times". A única pessoa que poderia ter feito isso era Saul, a mando de Walter, culminando na grande surra que o advogado trambiqueiro tomou.


A partir dali, Jesse apenas teria que juntar as peças para chegar ao envenenamento de Brock. Ele sabe que Walter mandou trocar o maço de cigarro com Ricina em seu bolso; sabe que Gus não foi o responsável por envenenar Brock, como Walter sugeriu; levando-o crer que Walter é a pessoa que armou isso tudo, inclusive envenenando a criança. Lembrou que na verdade, não foi Gus que armou para ele matar Walter, em "End Times", mas Walter que estava por trás de toda aquela trama, usando-lhe para se safar e colocando em risco a vida de uma criança. Duas atitudes injustificáveis e imperdoáveis. Pela sua extrema atitude vista nos segundos finais de "Confessions", não resta dúvida para Jesse que Walter é o diabo em pessoa.

Essa história deixou muita gente confusa, muitos esqueceram de alguns detalhes que acabaram dificultando o entendimento das atitudes de Jesse. Além desse texto, que espero ter esclarecido, publico abaixo o vídeo com uma montagem feita pelo site Huff Post, com os acontecimentos referente à Ricina, que deverá esclarecer ainda mais as atitudes de Jesse.