Pular para o conteúdo principal

Better Call Saul: "Mabel" 3x01 [Season Première]


Meses se passaram e a ansiedade para a volta de Better Call Saul só aumentava. O season finale passado deixou claro que um importante personagem de Breaking Bad entraria na série, no caso, Gustavo Fring. Pouco tempo depois os produtores confirmaram que se tratava mesmo de Gus e que o personagem estaria na terceira temporada. Veio então o espetacular trabalho de divulgação com a participação constante de Giancarlo Esposito, que deixou os fãs ainda mais entusiasmados. 

Então chega o dia da estreia da terceira temporada, episódio "Mabel", e concluímos que... Nada mudou, ainda.

Não é nenhum tipo de lamentação, desde já digo que foi um ótimo episódio, mas a série ainda tema em aguçar o telespectador sem ainda dar a ele o que tanto anseia. Jimmy ainda continua sendo Jimmy e seu núcleo continua distante do núcleo de Mike. Como disse em reviews anteriores, parece que estamos vendo duas séries ao mesmo tempo, tamanho a desconexão atual dos personagens principais, e, o núcleo de Mike continua sendo o mais empolgante.

Claro, tudo isso irá se juntar, mais cedo ou mais tarde. Jimmy ainda tem seu irmão Chuck em seu pé, enquanto tenta se estabelecer profissionalmente e amorosamente com Kim. O núcleo do nosso advogado tratou de continuar a história exatamente do momento que nos deixou, com Chuck expondo seu irmão para Howard para possam bolar algo para ferrar, definitivamente, Jimmy. É impressionante o ódio que Chuck carrega de Jimmy Mesmo ele aprontando muito, Jimmy tem bom coração, esse que Chuck ignora, dando muito mais valor para a lei.


E esse bom coração tende a balançar sempre para o lado desonesto, bandido da coisa. A temporada começa novamente mostrando Saul Goodman no futuro, após Breaking Bad. Jimmy continua gerente de uma padaria em um shopping, mas continua com medo de tudo e de todos, mas, demostrando claramente que ainda tem um advogado porta de cadeia defensor de bandido que conhecemos, dentro de si.

Enquanto isso em "Better Call Mike", acompanhamos também momentos exatos após ele receber o recado de Gus, "D'ont". Nesse momento Mike ainda não conhece Gus e tenta eliminar a família Salamanca, que, pra ele, tentará matá-lo a qualquer momento. 

Perspicaz, como sempre, Mike sabe que não teria recebido apenas um aviso e claramente demostra pavor, desconfiando que estava sendo rastreado. Numa sequência hilária de se ver, Mike desmonta praticamente todo o seu carro em busca de algum dispositivo. Quando está quase desistindo, no mesmo momento que achávamos que estaria delirando, Mike acaba encontrando um mini-rastreador na tampa de entrada de combustível, um lugar muito bem escondido. Não para ele.

A cena lembrou os bons e velhos momentos de Walter White, quando ele criava engenhocas mirabolantes para sua defesa/ataque. 

O episódio termina com Mike dando o troco, revertendo a jogada e trocando o rastreador para, agora, ele mesmo, descobrir quem está querendo sua cabeça.


Claro, já imaginando o que possa ocorrer e quem pode estar por trás disso, não vem outro nome na cabeça se não o de Gustavo Fring, no seu Los Pollos Hermanos. Acredito que teremos outra reunião cara a cara em Albuquerque. De um lado Mike e de outro a família Salamanca, com Gus intermediando tudo. Parecido com a cena que vimos em Breaking Bad, quando Jesse ganhou uma acareação com os reais assassinos de Combo, exploradores de crianças. 

Quem viver, verá. Que venha o próximo episódio!

Avaliação do episódio:
😈😈😈😈😈