Pular para o conteúdo principal

Vince Gilligan Concede Entrevista...

Ansioso para notícias sobre os novos e últimos episódios de Breaking Bad? Você não está só, "sinto muito" dizer-lhe. Mas a boa notícia é que nosso diretor Vince Gilligan deu uma interessante entrevista (talvez bombástica) para o site Vulture, mencionando diversos aspectos sobre o fim de Breaking Bad, opinou sobre alguns personagens, spinoff de Saul, entre outros. A entrevista é longa, mas vamos publicar os principais pontos, sem traduzi-la integralmente.

A entrevista não contém spoilers. Apenas a opinião do diretor. Mas se quiser ficar 100% de fora do que vai acontecer nos próximos episódios, não leia.

Para ler a entrevista completa em inglês, clique aqui

Atualmente estão fechando a edição do décimo episódio (segundo após a volta) e ele se sente muito feliz, apesar de estar bem nervoso com o processo, evitando transparecer o nervosismo para o restante dos roteiristas.

Ao contrário (óbvio) do que disse em sua última entrevista ao Vulture, quando mencionou que não sabia como encerrar a série, tendo apenas um esboço, Gilligan disse que após o fim da primeira metade da série, eles só sabiam que tinham uma metralhadora M60 no porta-malas do carro de Walt e estavam em dúvidas se partiriam para um final feliz, um final triste ou algo entre isso.

Ele se sente muito orgulhoso pelos últimos oito episódios e que está curioso para saber a reação do público. Diz que sofreu pressão de todos os lados e ficou bem mais neurótico do que geralmente é. 

Diz que não está acompanhando a opinião pública online, pois poderia deparar com uma boa ideia e dizer: "Oh merda, deveríamos ter pensado nisso", brinca. Mas ele faz o que um showrunner deve sempre fazer: agradar a si mesmo. 

"Em certos momentos iremos nos surpreender muito e em outros nem tanto", afirma. Poderemos nos deparar com assuntos óbvios, mas as vezes as escolhas óbvias são o caminho certo a seguir.

Ele entra no assunto "Walter" e diz que tem dificuldades de julgar o personagem e que não faria isso por vingança. Mas continua dizendo que, pessoalmente, tinha perdido a simpatia por Walter White e disse isso para Bryan Cranston, com frases tipo: "Walter é um bastardo!" "Ele é um merda!" Contudo, admite que isso ilustrou a percepção do homem que ele se tornou, mudando sua opinião, fato que achava que não iria acontecer. "Walter se comporta como uma pessoa má, mas ele não acha que ele seja um homem mau. Ele mente pra si mesmo, mentiria para o Papa e para a Madre Tereza de Calcutá, mas ainda é um homem bom", completa.

Sobre Skyler, Gilligan rebate as críticas devido a personagem estar no caminho de toda a "diversão" de Walter. Ele não vê dessa forma. Diz que gosta da Skyler, um pouco menos agora que se corrompeu por Walter. Nas primeiras temporadas ela era a voz da moralidade da série. Ela foi a única a dizer para Walter que ele não deve cozinhar metanfetamina. Continua dizendo que Skyler tem uma tarefa difícil por ser casada com esse babaca. "As pessoas estão se queixando por Skyler estar sendo um desmancha-prazer? Por um cozinheiro de Metanfetamina? Um marido assassino? Ela está dizendo para ele não ser um assassino e não ser um cara que produz drogas para as crianças! Como você poderia ter um problema com isso? É por essas e outras que eu fico longe das opiniões pela internet", conclui.

Sobre Albuquerque, cidade sede de Breaking Bad, Gilligan diz que foi um acaso maravilhoso terem escolhido gravar lá, escolha feita estritamente econômica. Agradece o acolhimento pela cidade e menciona uma curiosidade: a série se passaria na Califórnia, em Riverside, mas a Sony sugeriu Albuquerque por ganhar um desconto de 25% do dinheiro gasto no estado. Vince aceitou a oferta mas rejeitou a ideia da Sony de filmar na cidade como se estivessem na Califórnia. Então resolveram mudar o roteiro, configurando-o para o  Novo México.

Ele ainda menciona novidades sobre o possível spinoff para Saul Goodman, dizendo que estão em discussões preliminares sobre o projeto, mas pretende ajudar na produção do piloto e no arco da primeira temporada, posteriormente deixando a série para a liderança de Peter Gould, roteirista que criou o personagem. Seria uma série bem mais leve do que Breaking Bad mas não seria uma comédia, pois considera as sitcoms muito artificiais, tendo que ter risadas a cada 11 segundos.

Termina dizendo a sua opinião sobre o series finale de Breaking Bad:

"Em minha mente, o final é uma vitória para a Walt. Você pode ver o episódio e dizer: "Que diabos ele estava falando?" Mas é um final pouco feliz, na minha opinião."      

Comentários