Easter Eggs e Curiosidades de "Ozymandias" 5x14


Vince Gilligan afirmou que teríamos dificuldades para dormir após "Ozymandias" e não estava errado. Além da dificuldade para dormir, tenho certeza que até o exato momento o episódio ainda não saiu de suas cabeças, e, pra "piorar" ainda mais, vamos aos easter eggs e curiosidades do episódio, para que fiquemos por dentro de "Ozymandias", episódio que ainda não inventaram um elogio a sua altura.

 Começando tradicionalmente com o significado do nome do episódio, caso alguém ainda não saiba. "Ozymandias" é referência a um conhecido soneto de Percy Bysshe Shelley, publicado em 1818, que diz:

Eu encontrei um viajante de uma antiga terra
Que disse:—Duas imensas e destroncadas pernas de pedra
Erguem-se no deserto. Perto delas na areia
Meio enterrada, jaz uma viseira despedaçada, cuja fronte
E lábio enrugado e sorriso de frio comando
Dizem que seu escultor bem suas paixões leu
Que ainda sobrevivem, estampadas nessas coisas inertes,
A mão que os escarneceu e o coração que os alimentou.
E no pedestal aparecem estas palavras:
"Meu nome é Ozymandias, rei dos reis:
Contemplem as minhas obras, ó poderosos, e desesperai-vos!"
Nada mais resta: em redor a decadência
Daquele destroço colossal, sem limite e vazio
As areias solitárias e planas espalham-se para longe.  

 Todos esperavam acompanhar logo no início do episódio uma chuva de tiros. Caso tivéssemos assistido o começo do episódio de olhos fechados, talvez teríamos imaginado isso, graças à brincadeira que a direção impôs, ao nos mostrar "tiros", mas não o que estávamos esperando.

 

 A cena que abre o episódio trata-se de um flashback, óbvio, referente ao primeiro cozimento de Walter e Jesse no deserto. Mas a cena que vimos trata-se da última cena filmada de Breaking Bad, com um momento bem propício e emocionante para atores, produção e todos os envolvidos. Para eles, não poderia ter sido escolhido cena melhor.

 

 No mesmo flashback, acompanhamos um ângulo de visão que teve outra conotação no fim do episódio, mostrando como a vida da família White era feliz, passando à total destruição. Skyler se depara com várias escolhas, mas se pega na situação mais obscura possível, propícia para aquele momento.

 

 Passemos para a primeira cena impactante do episódio, quando nos despedimos de Hank, ou melhor, do Agente Especial Schrader.

A cena da morte de Hank foi filmada em uma tomada só. Os produtores ficaram satisfeitos logo na primeira filmagem, fato raro em situações como essa. Detalhe que naquele momento uma tempestade de areia surgia, obrigando a todos usarem máscaras para poeira, porém os atores envolvidos optaram pela continuidade da cena, passando por dificuldades, mas conseguiram.

 

 Vale lembrar a "ironia do destino": Walter foi quem cavou a própria cova de Hank, mesmo não sendo o autor do disparo que causou sua morte, nem mesmo teve intenção alguma de matá-lo e até mesmo implorou por sua vida. Só que ninguém nunca irá acreditar nele.

 

 Após a morte de Hank, Walter se desesperou, da mesma forma que Gus se desesperou ao ver seu parceiro morto por Don Eladio, no episódio "Hermanos" 4x08. Mas nesse caso a cena não se encaixa na teoria confirmada por Gilligan, que Walter adquiri uma habilidade de assumir os traços das pessoas que ele matou, pois a semelhança refere-se apenas ao ângulo de câmera idêntico, além do trauma que ambos sofreram.

 

 Caminhando pelo deserto, aquele lugar responsável pelo início do império de Heisenberg, Walter passa desapercebido por um objeto bem familiar, mas nós não deixamos passar, muito menos Bryan Cranston.

 

 Plano usado para ilustrar a insignificância de Walter naquele momento, estando praticamente invisível na tela de nossa TV.

 

 Agora mencionemos o sistema de cores que ilustram vários momentos em Breaking Bad. Aqui, um ângulo de visão propositalmente demorado, para deixar claro os lados da trama. Marie versus Skyler; preto versus branco; e um roxo no meio delas, simbolizando a morte. A morte de Hank, que ambas ainda não sabiam naquele momento.

 

 Mas antes disso vimos uma loira conhecida sendo atendida por Flynn no lava-jato. Sabem que é ela? Moira Walley-Beckett, roteirista desse episódio fazendo papel de figurante. O seu nome nos créditos apareceu no exato momento que estava em cena.

 

 O jogo de xadrez focado no Corpo de Bombeiros é uma referência clara à situação de Walter: um rei encurralado. Quem joga xadrez sabe que aquela situação do jogo não está nada boa para o jogador, da mesma forma passada pelo "rei" de Breaking Bad, Walter White. Contudo, não é um xeque-mate, sequer um xeque. Ainda dá pra vencer.

 A jogada executada também ilustra a saída de Walter de sua residência. O rei sai da casa branca e vai para a preta. Walter White (Branco) sai de sua residência e vai para o desconhecido, a escuridão.

 

 Já que entramos dentro do Corpo de Bombeiros, vamos falar da fofura da atriz Elanor Anne Wenrich, que interpreta (sim!) a personagem Holly. Separei três momentos:

1: Vimos ela dizendo: "Mamama". Isso não estava programado e aconteceu naturalmente. A criança estava chamando por sua mãe que estava ao lado da câmera. Bryan Cranston aproveitou a situação para atuar em cima de sua fala com total improviso e com total genialidade.

 

2: Agora, a cena onde vimos ela dentro do caminhão exigiu mais da atriz. Demorou bastante tempo para ser gravada, para que a câmera pegasse exatamente essa sequência, simbolizando o medo da criança.

 

3: Se você também ficou enfeitiçado pela fofura da criança naquele momento, talvez tenha perdido o guardanapo com o endereço de sua residência, fixado em sua blusa por Walter.

 

 O urso caolho rosa ataca novamente. Dessa vez na pele de Jesse, uma referência direta ao famigerado ursinho, da mesma forma que ocorreu com Gus.

 

 A cena final onde vimos um cão (raivoso?) atravessar o caminho de Walter é uma alusão à Jesse, tido na temporada como o "cão raivoso" que atravessou o caminho de Walter e se deu mal. A cena onde vemos Jesse amarrado é muito semelhante à lugares usados para delimitar espaço para cães.

 

 E o episódio tido como o melhor já exibido na TV, foi perfeito? Hummm, veja isso: um possível erro de continuidade:

 

Em "Más" 3x05, vimos através do contrato de divórcio de Walter e Skyler que o telefone da casa da família White era: 505-555-1258. Agora vimos o policial mencionando o número da residência em "Ozymandias" 5x14: 505-177-8987. 

E então? Eu respondo:

Erro de continuidade que nada, eles trocaram o número da residência, mas não mostraram na série. O episódio foi perfeito, sim!

Música do episódio:

 "Take My True Love by The Hand", por The Limeliters: música usada de tema para Walter, no meio do deserto, enquanto empurrava seu barril milionário.

     

Tecnologia do Blogger.