Pular para o conteúdo principal

Better Call Saul: "Marco" 1x10 [Season Finale]


Um season finale competente, divertido, muito bem produzido. Better Call Saul encerra sua primeira temporada sem nos dar algo bombástico, nada que fizéssemos "pirar" com a série, simplesmente porque esse nunca foi o seu objetivo.

Estamos mal (ou bem) acostumados com Breaking Bad, e a experiência de termos um resquício dela vivo na TV criou muitas expectativas, óbvio, contudo, considero que o balanço após o fim de sua primeira temporada é positivo. Seu season finale se desprendeu de Breaking Bad, inicialmente, porém o seu desfecho amarrou as pontas muito bem, nos deu aquele gostinho de "quero mais", um gostinho de "Saul Goodman", deixando um bom gancho para a segunda temporada.

Mas nenhuma das esperadas surpresas vieram. Criamos expectativas de alguma aparição, mesmo relâmpago, de algum personagem importante de Breaking Bad. Gus, Jesse (vimos várias pichações dele durante a temporada), ou qualquer outro. "Marco", nome do season finale, trouxe expectativas de uma possível participação de "Marco Salamanca", mas não. O "Marco" que vimos foi o amigo de Jimmy Sabonete que já tínhamos visto na temporada mas não sabíamos o seu nome. Uma certa e pequena desilusão, mas pela a história em torno do personagem, ficamos (eu pelo menos) satisfeitos por termos conhecido sua história.

Principalmente porque o real motivo de Jimmy se transformar em Saul Goodman foi mostrado, e sua decisão foi baseada na história vivida com seu amigo. 


Ele teve o poder da escolha: conseguiu um bom emprego, conseguiria trabalhar no seu honroso caso, ganharia honorários provavelmente satisfatórios, mas que o colocaria em embate com seu irmão, possivelmente. Ali, travaria uma disputa consigo mesmo, tendo que provar pra todos, principalmente para Chuck, que ele era capaz.   

Por outro lado, poderia escolher viver como um advogado, desprendido, independente, onde buscaria seus casos normalmente, porém... usufruindo de sua malandragem, e não mais, como disse a Mike, tentado "fazer o certo", e sim, lucrar acima de tudo, mesmo tendo que usar sua desonestidade. Ou seja: ser o Saul Goodman que conhecemos. 

Marco foi o estopim para isso. Sua morte, triste, foi um momento que Jimmy guardou, e que falou mais alto. Jimmy é o rei da falcatrua e o episódio deixou isso claro, divertidamente claro, fazendo com que Jimmy "chutasse o balde", até que um Walter White da vida o encontre pela frente. Deixa de ser Jimmy McGill, volta no tempo por uma semana para despedir-se do Jimmy Sabonete, e agora, parte rumo para ser Saul Goodman, e acredito que a segunda temporada irá tratar, definitivamente, dessa fusão.

Pelo andar da carruagem não consigo imaginar mais do que quatro temporadas para a série, só se os produtores quiserem enrolar bastante, e sabemos que eles não são disso.


A via é de mão dupla mas o caminho é um só. Por ser um prelúdio, sabemos onde esse caminho irá dar, porém o detalhamento dessa jornada está sendo interessante e divertido. A temporada trouxe ótimos episódios, e outros nem tanto, mas é acertada a iniciativa de contar a história desse carismático personagem, os fãs de Breaking Bad agradecem Better Call Saul por manter essa chama viva.

Que venha a segunda temporada.