Better Call Saul "Hit and Run" 6x04 - Breaking Bad Brasil

Últimas Notícias

Better Call Saul "Hit and Run" 6x04

Exibição: 02 de Maio 2022
Roteiro: Ann Cherkis
Direção: Rhea Seehorn


Quem tem... tem medo.

É a frase popular que não resisti em iniciar esse texto, pois exemplifica exatamente o sentimento atual de Kim em Better Call Saul. Isso porque suas atitudes não condizem com quem ela realmente é. Saul parece tirar de letra, mas para Kim é uma novidade, não está acostumada em ter pessoas perseguindo ela, não está acostumada a cometer crimes, contudo, teve a perspicácia de desmantelar essa perseguição.

"Hit and Run" é um episódio que tiveram as ações centradas em Saul e Kim, dando continuidade ao plano de ferrar com Howard. Porém, atendendo às minhas preces, os núcleos começaram a interagir, criando interessante conexão no fim do episódio. E mais, trouxe grandes (sim) resoluções para a série e também para o universo Breaking Bad. 

Como em vários momentos na série, o episódio começa com uma cena que não faz nenhum sentido no momento, mas que acaba tendo resolução no final. E esse pequeno momento da série traz grandes revelações, ao demostrar o quão profissional é Gustavo Fring. Extremamente metódico, parece até um robô. Tudo pra ele tem que ser perfeito, literalmente. Não aceita erros e exige o máximo de tudo e de todos. 

Seu grande objetivo no momento é encontrar Lalo, e mantém câmeras e detetives seguindo seus possíveis passos. Contra tudo e contra todos, Gus, acertadamente, acredita que Lalo esteja vivo, mantendo todos de olhos bem abertos para isso. Sabemos quem irá vencer esse duelo, só não sabemos como. Lalo dará trabalho, porém não vencerá essa guerra, mas acredito que deixará para Gus, efeitos colaterais. Basta sabermos quais.

Gus tem quase uma "sala da justiça" em sua casa, e isso nos remete a momentos vistos em Breaking Bad, quando recebe Jesse e Walter em sua residência. Aparentemente indefeso, sozinho, mas hoje sabemos que ele estava mais armado do que nunca, caso algum dos dois tentassem alguma coisa. 

Albuquerque e Gus esperam Lalo ansiosamente. Kim e Saul, agora, sabem que ele está vivo. As coisas deverão esquentar e muito nos próximos episódios. Lembramos que Lalo foi buscar "provas", e como bem disse Bill Oakley, vice-procurador de Albuquerque: "Há provas e há conhecimento".

Outros momentos nostálgicos foram vistos, principalmente com a aparição de Wendy, prostituta querida que conhecemos em Breaking Bad. Wendy faz um trabalhinho para Saul, dando luz ao plano que deve ferrar Howard de vez com Cliff. É sempre muito interessante quando essas conexões acontecem, ainda mais agora, demostrando claramente que os universos estão se colidindo.

Mas uma coisa me intriga: os momentos atuais em Better Call Saul se passam em 2004. Breaking Bad inicia no aniversário de 50 anos de Walter, em 7 de setembro de 2008. Portanto, anda faltam 4 anos para a linha temporal de Breaking Bad começar, mas aparentemente está bem mais perto do que nunca.

Better Call Saul foi concebida para ser bem mais comédia do que é, mas ao inserir a trama de Gus, a série ficou mais tensa e mais séria. Porém, nesse episódio, muito de sua concepção foi vista na pele de Saul, com momentos extremamente cômicos. Convenhamos que o plano não foi nem de perto perfeito, muita coisa poderia dar errado, e em segundos. Mas a resolução se tornou muito mais aceitável por tratarmos esses momentos como comédia, que literalmente foi. 

A caracterização, o plano, a placa arrancada, a placa caindo, a fila de "clientes", Wendy... enfim. Foi leve e cômico, típico do advogado que conhecemos em Breaking Bad e essencial para baixar a tensão após o trauma causado pelo episódio anterior. 

O doce e amável advogado começou a perder sua pose, com todos agora o tratando como o "advogado do cartel". Não tem mais credibilidade no tribunal, nem pelos funcionários, e agora estará de livre de Jim e absorvido de vez por Saul Goodman. 

Acompanhamos a concepção do escritório "Saul Goodman & Associates", local  de trabalho  de Saul em Breaking Bad. Sabemos que Kim avalizou o local, e a cena final mostra que Kim esteve ao lado de Saul quase que em todos os momentos dele até ser inserido em Breaking Bad. Eles estão muito, muito pertos, e isso demostra que o desfecho de Kim na série está prestes a acontecer.

Apostem suas fichas. Saul não inicia Breaking Bad depressivo. Não há nenhum indício da passagem de Kim na vida dele vista em Breaking Bad. O futuro de Kim é o grande mistério na série, e quem viver, verá.

Queria terminar essa review destacando mais uma vez a produção impecável que acompanhamos a cada episódio. Está cada vez mais impressionante acompanhar os momentos técnicos da série, como edição, trilha sonora e fotografia. Mas em um momento ficou muito evidente, quando Saul sai do carro para ajeitar o cone e não há corte de cena. Provavelmente há uma câmera presa na porta do carro que traz essa imagem belíssima.

Por isso sempre digo, Better Call Saul, é Breaking Bad.