Better Call Saul "Axe and Grind" 6x06 - Breaking Bad Brasil

Últimas Notícias

Better Call Saul "Axe and Grind" 6x06

Exibição: 16 de Maio 2022
Roteiro: Ariel Levine
Direção: Giancarlo Esposito


O universo Breaking Bad é também sobre escolhas.

Walter poderia aceitar o dinheiro de Gretchen e Elliott, mas ele escolheu vender metanfetamina. Saul poderia ajudar a polícia a prender Lalo, mas ele preferiu ser o "advogado do cartel". Uma escolha e tudo poderia tomar rumos diferentes. Por várias vezes, vimos nossos personagens nos deparar com escolhas simples e diretas, e a cada desses momentos são jogados em nossa face a real e literal escolha que fizeram e que desencadeará momentos, provavelmente, trágicos.

Kim poderia seguir em frente, aceitar um novo emprego, ganhar bem e viver honestamente como a conhecemos. Mas não, fez o retorno e decidiu voltar para Jimmy, dando continuidade ao a plano de acabar com Howard. O dia D chegou, e ela preferiu isso, dando muito mais importância, ao invés de escolher o caminho correto.

Ela traz memórias familiares ruins, demostradas muito bem no teaser que baseou-se em sua infância controlada por sua mãe trambiqueira, quem diria. Kim teve que lutar contra isso provavelmente por toda sua vida, mas agora parece se render às tramoias, e seu passado pode ter influência nisso. Detalhe óbvio foi a placa do carro de sua mãe, de Nebraska, local onde Saul Goodman foi após o fim de Breaking Bad e está lá até hoje.

É um indício que Kim poderá encontrar Saul Goodman (Gene) no final da série. Outro indício, trata-se do cartão encontrado na agenda de contato do veterinário, um dos caras conhecidos por Saul e mencionados em Breaking Bad. O veterinário está vendendo os contatos e Saul irá comprá-lo, pois fica provado por já termos visto esse caderninho no início da temporada, no desmonte da casa de Saul Goodman. O contato do desaparecedor está bem destacado, fato que pode ligar e dar desfecho à personagem Kim na série. Não morreria, desapareceria, reencontrando Gene em Nebraska.

Tudo ficou tão óbvio que espero que isso realmente não aconteça, e que nos surpreenda no final com outro desfecho, mesmo sendo trágico. 


Surpresa seria a inserção do personagem Ed (o desaparecedor) em Better Call Saul. Não pela trama, que já caminha para isso, mas pela aparição do ator Robert Forster, que infelizmente morreu em 2019, mas que participou de El Camino. Teria ele deixado cenas gravadas para Better Call Saul? Não tenho maturidade para aceitar isso sem me desmanchar completamente por emoção. Seria maravilhoso.

Mas nada maravilhoso é a vida de Howard, mostrada com mais detalhes nesse episódio. Está em um casamento conturbado e ele parece estar tentando salvá-lo, ao contrário de sua esposa, que o trata com descaso, demonstrado claramente ao derramar o café feito com todo carinho por ele. Temos que lembrar que Howard é a vítima nessa história, mesmo torcendo pelo plano de Saul dar certo. Peças pregadas por esse universo que sempre nos deixam desconfortáveis por preferirmos, muitas vezes, os bandidos ao invés dos mocinhos.

Saul e Kim vão para o dia D e Howard os espera para o contra-ataque. Essa trama começou sem muita pretensão e segue para seu desfecho com certa empolgação, e ainda revelando lados obscuros, principalmente, o lado de Kim. Mais uma vez a série foca no rosto de Saul e ilustrando claramente os dois lados que abitam em seu interior.


Por outro lado da trama, Lalo reaparece dando continuidade à investigação, buscando provas para ferrar com a vida de Gus e expô-lo ao cartel. Vai em busca de Casper — um ex-membro da equipe de escavação de Werner Ziegler. Ele acaba quebrando umas costelas mas chega ao objetivo de capturar e interrogar uma das pessoas que podem dar detalhes sobre o laboratório que Gus está construindo embaixo da lavanderia.

Lavanderia essa frequentada por Mike, que participou pouco do episódio, mas que teve momentos fofos com sua neta, enquanto encarava Tyrus e o colocava em seu devido lugar. Mike é muito bom e Gus só trabalha com os melhores. Mike sabe disso, por isso mesmo se impõe sem medo de morrer. 

O episódio trouxe certa calmaria antes da tempestade que virá. De novo, não trouxe grandes momentos do núcleo envolvendo o cartel, que é o mais interessante da série, contudo, tem enriquecido o que tem mostrado, com um roteiro muito bem amarrado e principalmente, viciante, provocando ansiedade em nós para os próximos acontecimentos. 

O gostinho de quero mais persiste, mas a contagem regressiva é um misto de satisfação e dor, porém, com a certeza de um fim maravilhoso crescendo a cada episódio.