Pular para o conteúdo principal

Vince Gilligan: Detalhes Sobre o Fim de Breaking Bad


Vince Gilligan, o criador de Breaking Bad, deu alguns detalhes sobre o fim da série no programa 'Talking Bad', como publicamos, porém a sua jornada de entrevistas está apenas começando.

Em entrevista publicada no site Inside TV, Vince Gilligan deu mais detalhes sobre o fim da série, repetiu algumas coisas que já havia dito no programa do AMC com bem mais detalhes, e listou os principais pontos que fecharam a série.

Com spoilers para quem não viu o series finale de Breaking Bad

O fim da série:

"Eu acho que muitas pessoas vão ter um final diferente para a série, portanto, estamos obrigados a decepcionar um certo número de pessoas", diz ele, "mas eu realmente acho que posso dizer com confiança que ficamos felizes com o final. Eu me sinto satisfeito e estou feliz".

O fim de Walter:

"Nós não sentimos uma necessidade absoluta de acabar com Walt no final do show. Nosso instinto nos disse que era certo. Eu e os roteiristas trabalhamos através de todas essas diferentes possibilidades, parecia certo, mas eu não acho que era uma necessidade para nós. Havia uma versão onde Walt seria o único que sobreviveria, e ele ficaria em pé, entre os destroços e toda a sua família estaria destruída. Isso seria um final muito poderoso, mas muito, tipo, "chute nos dentes" para os telespectadores. Falamos sobre uma versão onde Jesse mata Walt. Falamos sobre uma versão onde Walt mais ou menos safa-se. Não há nenhuma maneira certa ou errada para fazer este trabalho — é só uma questão de: tantas pessoas inteligentes ao seu redor, na sala de escritores, e fiquei muito feliz com isso. 

E quando nosso instinto nos disse o que nós tínhamos, nós escrevemos, e acho que nosso instinto disse-nos que seria satisfatório para Walt começar a fazer as pazes com a sua vida e por toda a tristeza e miséria forjada em cima de sua família e seus amigos. Walt nunca vai se redimir. Ele está muito longe da estrada para a redenção. Mas pelo menos ele leva alguns passos ao longo desse caminho. E eu acho mais importante para ele, do que o fato de que ele propôs a realizar, o caminho de volta ao primeiro episódio: ele deixa sua família com uma tonelada de dinheiro. Claro, Walt por anos agora está do lado errado do telescópio.

Durante anos, ele pensou que se ele deixa sua família financeiramente sólida — é tudo o que ele tem que fazer como um homem, como um provedor e como um pai. Eles vão sair com pouco menos de 10 milhões em dinheiro, por causa de maquinações de Walt com Gretchen (Jessica Hecht) e Elliott (Adam Godley). Mas por outro lado, a família é emocionalmente marcada para sempre. Então, é uma mensagem muito misturada no final. Walt falhou em muitos níveis, mas ele conseguiu fazer a única coisa que ele se dispôs a fazer, que é uma vitória. Ele conseguiu deixar a sua família financeiramente sólida, na sua ausência, e que realmente era a única coisa que ele se dispôs a fazer desde o primeiro episódio. Então, missão cumprida."

O fim de Jesse:

"Descobrimos ao longo dos anos que para agradar a maioria do público, na maioria das vezes, deveríamos agradar os oito da sala de escritores. Se conseguimos nos fazer feliz, dia após dia, teríamos uma boa chance de fazer a maioria dos telespectadores felizes também, e isso é o que nos mantinha em boa posição durante os seis anos. Com isso em mente, todos [nós] na sala dos roteiristas simplesmente amaram Jesse (Aaron Paul) e só perceberam que ele se pedeu pelo caminho. Quando você pensa sobre isso, ele realmente não teve chance nos primeiros dias. Walt disse: "Você vai me ajudar a cozinhar metanfetamina e vender, ou então eu vou te entregar para a DEA". Portanto, esta pobre criança, com base em algumas decisões muito ruins que ele fez no início, veio pagando o preço fisicamente, espiritualmente, mentalmente e emocionalmente. Em todos os sentidos, ele só está pagando o pato, e eu percebi que parecia certo para ele fugir. Teria sido uma chatice para nós, como para os primeiros fãs da série, Jesse ter que pagar com a sua vida, em última instância."

O futuro de Jesse

Sempre sentimos que os telespectadores queriam que Jesse se safasse. E cabe a cada telespectador decidir o que vai acontecer com Jesse. Algumas pessoas podem pensar: "Bem, ele provavelmente andou duas milhas de estrada, até que a policia o prendeu". Mas eu prefiro acreditar que ele fugiu, e ele tem um longo caminho de recuperação pela frente, no sentido de ter sido mantido prisioneiro numa masmorra pelos últimos seis meses, ter sido reduzido a uma polegada de vida e ver Andrea sendo baleada. Todas essas coisas terríveis que ele testemunhou vão machucá-lo, mas o romântico em mim quer acreditar que ele consegue se safar, se muda para o Alaska e tem uma vida em paz, perto da natureza.

A possibilidade de Jesse ter matado Walt

"Nós conversamos sobre a possibilidade de Jesse matar Walt, ou Walt se virando e encontrando Jesse apontando uma arma para ele. Nós conversamos sobre várias possibilidades e fomos da forma que fomos, finalmente, porque o desejo de sangue já tinha sido saciado antes por Jesse, no momento em que ele estrangulou Todd (Jesse Plemons) até a morte. Isso é o que os escritores queriam ver. Todd é fácil de gostar, de um jeito estranho, mas ele tinha que ir. Opie tinha que ir. Ricky Hitler tinha que ir, como gostávamos de chamá-lo. Acho que o mundo está melhor sem aquele grupo de personagens. Então, estando satisfeito, vimos que Jesse não é um assassino. Esse coitado acabou tendo que matar de novo e de novo. A primeira vez ele matou para salvar Mr. White, bem como a si mesmo e não é natural para ele, e é algo que tinha roubado um pedaço grande e importante de sua alma. E nós pensamos: "Deixe-o terminar com Todd. Deixe que seja a última pessoa que esse garoto vai matar. Deixe-o  partir para ter uma vida decente." E também, ele tem razão suficiente para matar o Walt. Ele tem razão suficiente para estar com ódio mortal. Mas ele disse um tempo atrás, em um episódio anterior: "Eu nunca mais vou fazer o que você me disser". Então quando ele diz que não, e deixa cair a arma, dizendo: "Faça você mesmo", para Mr. White, foi como recusar a fazer o que Walt lhe diz. Ele não vai fazer Walt feliz. Isso não se trata de: "Eu não estou ainda zangado o suficiente para matá-lo". Em vez disso, tem: "Você quer isso, e eu não vou dar isso a você"

O motivo de Wat ter salvado Jesse

"Muitos telespectadores atentos que conhecem a história do filme vão dizer: "É o final de 'The Searchers' (Rastros de Ódio)". E de fato é. O maravilhoso 'The Searchers' tem John Wayne procurando por Natalie Wood nas três horas do filme. Ela foi raptada pelos índios e criada como um deles, e ao longo de todo o filme, John Wayne diz: "Eu preciso acabar com seu sofrimento. Assim que eu encontrá-la, eu vou matá-la". No filme inteiro, Jeffrey Hunter está dizendo: "Não, não vamos — ela é minha parente de sangue, vamos salvá-la," e ele diz: "Vamos matá-la". E você pensa: "Oh meu Deus, John Wayne é um monstro e vai fazer isso!". Você fica com isso durante todo o filme, este é o grande drama entre esses dois personagens à procura de Natalie Wood. E então no final do filme, num impulso, você acha que ele está andando na direção dela para matá-la e ao invés disso, ele a carrega para fora, ele a leva embora e diz: "Vamos para casa". E isso sempre me afeta — o final do filme acaba com você e é maravilhoso. Na sala de roteiristas, dissemos "Ei, e aquele final de The Searchers?" Então, é sempre uma questão de roubar do melhor (risos)."

Walt pagou os seu pecados com a sua morte?

"Cabe ao telespectador. Morrer não necessariamente pagou os seus pecados. Eu certamente espero que não, é porque as vezes as melhores pessoas vão acabar morrendo. Então pode-se dizer que ele escapou, porque nunca conseguiram algemá-lo. Uma vez Hank conseguiu [Dean Norris, em 'To'Hajiilee'], mas agora ele morreu antes da polícia aparecer. As sirenes e as luzes piscando estavam chegando e ele simplesmente não dá a mínima. Ele está acariciando o seu precioso, termo de "O Senhor dos Anéis". Ele está com a coisa que ele parece mais amar no mundo, que é o seu trabalho e seu laboratório e ele só não se preocupa em ser apanhado, porque ele sabe que está de saída. Então pode-se argumentar que ele paga por seus pecados no final ou pode apenas dizer que ele conseguiu escapar."

Lydia e a Ricina:

"Nós seguimos a filosofia dramática do dramaturgo Chekhov, que disse que se você estabelecer uma arma no ato 1, melhor você encerrá-la no ato 3. Sabíamos que a ricina ainda andava por aí, e sabíamos que estava escondida atrás da tomada no velho quarto da casa de Walt. Acho que poderíamos ter deixado para lá, mas pensando bem, o público tem sido muito bom para nós, eles estão muito atentos e queríamos recompensá-los, não deixando pontas soltas. E também, sinceramente, a atriz que interpreta Lydia [Laura Fraser] é uma pessoa maravilhosa, calorosa e doce, mas todos queriam que Lydia tivesse o que merecia — nós todos estávamos esperando pelo momento de sua sobremesa, até mais do que Todd. 

Todd é tão "agradável", quase temos um sentimento ambivalente quando ele é morto. Mas, Lydia? Todos concordamos que ela tinha que morrer, então, pensamos: "Qual a melhor maneira de fazer isso? E achamos que ela poderia estar lá, de alguma maneira, quando a M60 começasse a atirar, mas pensamos melhor: "Ela nunca estaria lá para esse tipo de coisa. Ela não é esse tipo de pessoa". Então, pensamos em usar a ricina, e ficamos muito, muito orgulhosos de nós mesmos quando achamos uma maneira de juntar isso tudo e dar o que ela merecia também. Foi uma grande luta descobrir como fazer isso tudo e que todos tivessem o que mereciam. Todos tiveram seu momento final no episódio e isso nos deu muita dor de cabeça pra colocar tudo numa hora final na tevê (risos), mas me sinto realmente bem com o que fizemos.

O desafio da cena final:

"Estranhamente, a parte da vingança no final - esta é uma maneira estranha de colocá-la, porque é muito violenta - mas isso é um tipo de "cereja do bolo", que é o que o público precisava ver para ter a sua própria satisfação emocional. Ao final de uma hora, o público precisa ver que Walt obteve a sua vingança contra os caras que mataram Hank. Isso é uma espécie de necessidade. Mas a seqüência mais importante do episódio para mim foi provavelmente Walt ter obtido sucesso ao longo dos 62 episódios, deixando o dinheiro para sua família." 

"A seqüência com Gretchen e Elliott em sua casa era a coisa mais difícil de todas para nós descobrirmos. No episódio anterior, Saul Goodman (Bob Odenkirk) dá a Walt todas as razões pelas quais é impossível deixar milhões e milhões de dólares para sua família. Ele diz: "Você nunca vai conseguir passar pelos policiais, e se de alguma forma você conseguir dar para a sua família, a polícia vai descobrir e eles vão tomá-lo, porque é dinheiro da droga. E se por milagre dos milagres, você consegue passar pela polícia, sua família não vai aceitar porque é de você e eles te odeiam. Especialmente o seu filho, que é essencialmente pra quem você está fazendo isso". Continuamos falando sobre isso na sala dos roteiristas dizendo: "Jesus, Saul está certo sobre o dinheiro, sem trocadilhos. Não há nenhuma maneira de Walt fazer isso". O esquema com Gretchen e Elliott é a mais importante sequência do episódio, quando Walt os intimida a dar o dinheiro para a sua família, para que se livre do DEA, sem que saibam do dinheiro e Skyler e Walt Jr aceitem como caridade, e não dinheiro de seu império. Assim que percebemos isso, ficamos pensando: "Oh, Deus, vamos pro almoço" (risos). É provavelmente o momento estruturalmente mais importante do episódio, e o mais difícil de construir".

O sentimento de ter terminado a série no auge:

"Toda história tem seu tempo de execução, e é apenas difícil descobrir esse tempo na televisão e me sinto muito feliz e satisfeito com o fato de que estamos encerrando agora. Eu não podia mesmo acreditar que a audiência aumentou a cada episódio. Eu acho maravilhoso - e as pessoas já me perguntaram: "Não dá vontade de continuar e escrever mais episódios?" E é o contrário. Me faz pensar, ao lado de uma boa dose de sorte, que escolhemos um bom momento para deixar o palco, e me sinto ainda mais certo disso do que antes."